Fauna News

Buscar

banner_20-08-2014.gif

Quarta-Feira, 29 DE Outubro DE 2014

Atropelamentos de animais: não existe solução pronta

Cada caso é um caso e deve ser estudado para a identificação de suas peculiaridades. É assim que deve ser encarada cada estrada e cada rodovia quando se pretende reduzir os atropelamentos de animais silvestres e outros impactos que a construção dessas vias causam na fauna – indução da presença humana com aumento da caça e redução de hábitat, poluição sonora e de cursos d’água, limitação no acesso a alimentos e por aí vai.

Aos poucos, infelizmente, órgãos públicos e concessionárias que administram rodovias começam a trabalhar para minimizar os efeitos negativos que o tráfego de veículos causam na vida animal. Apesar de lentas, decisões começam a ser tomadas e os técnicos passam a ter de estudar o assunto.

Nesse processo de aprendizado, os profissionais envolvidos passam a ter uma certeza: não existe fórmula pronta aplicável para todos os casos que resolva fenômenos como os atropelamentos dos silvestres. Vendo sob esse aspecto, as tentativas de implantar ferramentas que reduzam o massacre da fauna nas estradas e rodovias é positivo.

No Paraná, mais um esforço está saindo do papel:

“O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) instalou na rodovia PR-280, nos quilômetros 153 e 154, em Clevelândia, um dispositivo para reduzir a velocidade dos automóveis. O objetivo é diminuir os atropelamentos de animais silvestres da região, pertencente à Estação Ecológica da Mata Preta. O dispositivo é formado por uma sequência de faixas transversais em revelo, pintadas no pavimento da rodovia.

Faixas ajudam a alertar motoristas para possível presença de animais

“A partir do momento em que o motorista passa sobre as faixas, ele é informado por sonorização sobre os riscos de atropelamento da fauna silvestre no local”, informa o chefe do escritório de Vale do Chopim do DER-PR, Marcus Vinícius Talamini. “Isso faz com que os usuários dirijam com mais atenção”.

Além da pintura das faixas, o DER-PR instalou placas indicativas e educativas que informam a existência de fauna silvestre e placas que indicam a velocidade máxima de 60 km/h.

(...) REDUÇÃO - Após a instalação do dispositivo, em agosto de 2014, a Mata Preta monitorou o atropelamento da fauna nos dias 11, 12, 21, 26 e 28 de agosto e 5, 8 e 21 de setembro. Segundo a Estação, foi observada uma grande redução de velocidade de veículos menores (carros e bicicletas), com o registro de apenas um atropelamento de animal silvestre no período analisado.

O DER-PR estuda também implantar passagens subterrâneas ou elevadas para os animais silvestres, além de redutores e controladores de velocidade eletrônicos. “São medidas que ajudarão ainda mais a proteger a fauna da Estação de Ecológica da Mata Preta”, finaliza Talamini.

OPERAÇÃO RADAR – Em novembro, equipes do DER-PR, em conjunto com a Polícia Rodoviária Estadual, farão uma operação radar no local onde o dispositivo foi instalado. A medida visa orientar os usuários da rodovia sobre a velocidade de 60 km/h e presença de animais silvestres no local.” – texto da matéria “Novo dispositivo reduz acidentes com animais silvestres na PR-280”, publicada em 28 de outubro de 2014 pelo site Bem Paraná

Que o conjunto de medidas seja eficiente e o esforço, após o estudo de cada caso, seja aplicado nas demais estradas e rodovias do Paraná.

- Leia a matéria completa do Bem Paraná

Postado por Dimas Marques às 00:05

Deixe seu comentário

comentários por Disqus

Artigos relacionados