Fauna News

Buscar

banner_20-08-2014.gif

Quarta-Feira, 01 DE Outubro DE 2014

Retornando à vida livre: uma nova chance

“O Grupamento Ambiental (GAM) da Guarda Civil Municipal (GCM) devolveu à natureza, 51 animais silvestres, sedo três mamíferos (ouriço-cacheiro) e 48 aves silvestres. O comandante do GAM, Sávio Tatagiba, explicou que ouriços-cacheiros representam um maior risco à população e aos animais domésticos, devido à presença de espinhos na região lombar e do crânio. Estes animais foram resgatados em residências do Parque Santos Dumont e em Baixa Grande.

Momento mágico: o reencontro com a liberdade- Devido ao desmatamento e às queimadas, os ouriços-cacheiros, bem como gambás, jiboias e corujas, acabam invadindo as residências, à procura de alimento e abrigo. Só este ano, nós já resgatamos 193 animais silvestres em residências - informa o comandante do GAM.

Sávio explica que quando animais silvestres aparecem nas casas, os moradores devem entrar em contato com o GAM, através dos telefones 153 ou 2725-6483, para que a equipe possa realizar o resgate dos animais, levando tranquilidade e segurança à população e aos animais, que são avaliados por veterinários e biólogos, para que possam ser devolvidos à natureza. A soltura dos 51 animais aconteceu na quinta-feira (25).” – texto da matéria “Grupamento Ambiental realiza soltura de 51 animais silvestres”, publicada em 29 de setembro de 2014 pelo site da prefeitura de Campos dos Goytacazes (RJ)

Esses animais tiveram sorte, pois não representam o que normalmente acontece no Brasil. O mais comum é que os silvestres acabem em cativeiro, principalmente os que são apreendidos com traficantes ou com pessoas que os criam como bichos de estimação. O poder público (prefeituras, governos estaduais e a União) geralmente não mantém projetos de assistência e devolução à natureza – ou quando desenvolve esse trabalho não é com a dimensão necessária.

Com certeza, a maioria das aves soltas em Campos foram vítimas do tráfico e acabaram apreendidas nas residências dos moradores do município.

Vale destacar que as solturas têm de ser realizadas com muito critério e com acompanhamento de especialistas. Uma série de considerações tem de ser feita para essa decisão.

Os animais devem ser capazes de se defender de predadores e se alimentar, enfim, de desempenhar todo seu comportamento natural. Eles também têm de ser soltos em seus hábitats de origem e, quando não for possível identificar exatamente a região de onde veio o bicho, a área deve ser similar e com capacidade de fornecer alimentos e tudo que ele precisa. Deve-se também tomar cuidado para não criar uma superpopulação da espécie para que outras não sejam prejudicadas.

Enfim, o assunto é complicado e muito negligenciado no Brasil.

Espera-se que a soltura realizada em Campos tenha levado em conta todos os aspectos necessários para que os animais sobrevivam em um ambiente saudável.

- Leia a matéria completa no site da prefeitura de Campos dos Goytacazes

 

Postado por Dimas Marques às 14:27

Deixe seu comentário

comentários por Disqus

Artigos relacionados