Fauna News

Buscar

banner_20-08-2014.gif

Sexta-Feira, 25 DE Setembro DE 2015

Reflexão para o fim de semana: um grupo de mulheres na luta contra o tráfico de fauna

Inidade ajudou a prender seis caçadores ilegais e remover mais de mil armadilhas

‘Um grupo de guardas florestais, em sua maioria mulheres, está deixando sua marca contra a prática de caça ilegal em uma das maiores reservas de caça da África — e o mundo está percebendo.

A Unidade Contra Caça Ilegal do Black Mamba é um grupo de 26 guardas florestais que patrulham o Balule Private Game Reserve, uma reserva privada localizada no gigante Parque Nacional Kruger, na África do Sul. Elas protegem a vasta diversidade de vida selvagem — rinocerontes, elefantes, hipopótamos, entre outras espécies — contra caçadores ilegais e educam as comunidades vizinhas sobre os esforços de conservação da reserva.

Está dando resultado. Fundado em 2013, o Black Mamba destruiu mais de dez acampamentos de caçadores e reduziu as armadilhas e práticas de envenenamento em 76%, de acordo com o site do grupo.

Um comunicado divulgado no dia 8 de setembro pelas Nações Unidas informa que a unidade ajudou a prender seis caçadores ilegais e remover mais de mil armadilhas na reserva. Por essas razões, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) concedeu ao Black Mamba o prêmio Campeões da Terra de 2015.

“Suas muitas [ações] bem-sucedidas são o resultado de impressionante coragem e determinação para fazer a diferença em sua comunidade”, disse em um comunicado Achim Steiner, diretor-executivo do Pnuma. “As Black Mambas são uma inspiração não apenas localmente, mas em todo mundo para aqueles que trabalham para eliminar o flagelo do comércio ilegal de vida selvagem.”’
– texto da matéria “Conheça as 'Black Mambas', o grupo de mulheres que combate o tráfico de animais na África do Sul”, publicada em 23 de setembro de 2015 pelo site Brasil Post

- Leia a matéria completa do Brasil Post
- Conheça o Black Mamba (site oficial em inglês)

Postado por Dimas Marques às 10:00

Deixe seu comentário

comentários por Disqus

Artigos relacionados