Fauna News

Buscar

banner_20-08-2014.gif

Terça-Feira, 06 DE Outubro DE 2015

É hora de ajudar: contribua para a Polícia Rodoviária atender bem animais apreendidos

A SOS Fauna, ONG especializada no combate ao tráfico de fauna, primeiros socorros para animais apreendidos e devolução para a natureza de silvestres, iniciou uma campanha para equipar e capacitar policiais rodoviários.

E você pode contribuir com qualquer quantia nesta campanha que está no Vakinha. Veja os detalhes do projeto que você ajudará a financiar:

Policial rodoviário federal com canários apreendidos comtraficante de animais“Todos os anos as autoridades que operam em ações de fiscalização nas rodovias brasileiras surpreendem pessoas transportando animais silvestres vítimas do tráfico, muitas vezes ainda filhotes, tendo como principais destinos as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro e como principais origens os estados da Bahia, Minas Gerais, Tocantins, Goiás, Mato Grosso do Sul e Paraná.

Quando muitas destas apreensões ocorrem, geralmente o fato se dá a distâncias bastante significativas dos locais que poderiam ter suporte para receber estes animais e prestar-lhe os primeiros socorros. Às vezes é preciso transportar muitos animais por centenas de quilômetros até um Centro de Recepção e tal procedimento sempre é uma corrida contra o tempo em prol da vida, além de outro problema, que é quando estas apreensões acontecem durante a noite, nos finais de semana ou feriados.

Pensando nisso e com a experiência de campo que nossa organização – SOS Fauna – possui com primeiros socorros em momentos como estes, estamos iniciando um projeto que foca a administração de protocolos emergenciais para procedimentos de primeiros socorros em situações envolvendo apreensão de animais silvestres em rodovias, inclusive para filhotes de papagaio, cujo crítico período se dá justamente entre os meses de setembro e outubro para o bioma de cerrado e janeiro a março para o bioma da caatinga, em qualquer situação.

Este projeto é dotado de duas peças fundamentais, são elas:

A.  A montagem e entrega às unidades da Polícia Rodoviária do local inicialmente trabalhadas neste projeto, de um KIT que lhes permita operar de forma rápida e emergencial em determinadas situações envolvendo a apreensão de animais silvestres das espécies que com mais frequência tem aquele ponto geográfico como rota do tráfico;

B.  De dois a três dias ininterruptos de cursos aos policiais sobre os procedimentos que devem tomar em cada situação, de acordo com a espécie, condições de transporte, temperatura no dia, umidade relativa do ar, tempo de viagem até o momento da apreensão, luminosidade, alimentação, redução do nível de estresse, aquecimento, alimentação, cuidados sanitários e também cuidados pessoais dos próprios policiais, entre outros, buscando realizar o que de melhor é possível naquele momento para MANTER OS ANIMAIS VIVOS. Também dicas essenciais para buscar evidências de origem geográfica dos animais, pois isso no futuro, para uma possível reintrodução, é fator de suma importância.


Os materiais necessários ao item “A” compreendem itens descartáveis e de procedimentos, como luvas, seringas com sondas para alimentar filhotes, mamadeiras, máscaras, cochos, bebedouros, feno, maravalha, uniformes de trabalho,  entre outros, além de medicamentos básicos (suplementos) e estoque de alimentos necessários e essenciais a atender animais silvestres em situações emergenciais pós-apreensão, de acordo com a espécie.  Caixas de apoio para remover animais silvestres dependendo da situação encontrada no transporte, aquecedores, umidificadores, etc.

O projeto objeto desta campanha incluí o deslocamento da equipe SOS Fauna em nossa VAN especialmente preparada para administração de cursos nesta linha e também de primeiros socorros, partindo de São Paulo à cidade de Bataguassu no Estado de Mato Grosso do Sul, com regresso a São Paulo em aproximadamente sete dias. Após retorno e novo preparo do veículo, agora partiremos de São Paulo à cidade de Montes Claros, no Norte do Estado de Minas Gerais,  permanecendo no local durante três dias. Posteriormente seguimos para o município de Vitória da Conquista, Estado da Bahia, por mais outros dois ou três dias. As rodovias que passam por estas três localidades são importantes rotas do tráfico de animais silvestres no Brasil com destinos a São Paulo e o Rio de Janeiro.

O período de trabalho entre deslocamento de São Paulo aos estados de Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Bahia com regresso a São Paulo está estimado entre dezenove e vinte e um dias.

Nossa equipe que se deslocará para execução deste projeto será composta por três pessoas.

Os custos do projeto envolvem a aquisição de todos os insumos necessários (combustível, pedágios, hospedagem, alimentação, materiais e medicamentos para os animais, impressos, material para documentar o trabalho, entre outros).

Posteriormente à execução destas três missões, em Bataguassu – MS, Montes Claros – MG e Vitória da Conquista – BA, relataremos através da FANPAGE da SOS Fauna a prestação de contas referente ao trabalho proposto.

Havendo contribuições que ultrapassem o valor almejado estas se reverterão em trabalhos e/ou itens em prol da defesa e conservação de nossa fauna silvestre, como a aquisição de alimentos, medicamentos, itens descartáveis em prol de animais apreendidos, podendo até mesmo podendo chegar a implementação de recintos em áreas de soltura no Norte do Estado de Minas Gerais onde a SOS Fauna está trabalhado no momento.”
– texto da campanha no site Vakinha

De acordo com estimativa de 2001 da Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres (Renctas), 38 milhões de animais silvestres são retirados todos os anos da natureza brasileira para abastecer o mercado negro de fauna. Uma parte desses bichos acaba apreendida e tem o direito de receber um atendimento que aumente as suas chances de sobrevivência.

Não deixe de contribuir!

A SOS Fauna é uma entidade séria. Pode confiar.

Assista ao vídeo da SOS Fauna:

- Contribua pelo Vakinha
- Conheça a SOS Fauna

Postado por Dimas Marques às 00:00

Deixe seu comentário

comentários por Disqus

Artigos relacionados