Fauna News

Buscar

banner_20-08-2014.gif

Quarta-Feira, 12 DE Abril DE 2017

Olha o Bicho! - Irerê

Aves da espécie podem ser encontradas em boa parte das Américas do Sul e Central, além da África Ocidental

Por Luciana Ribeiro
lucianaribeiro@faunanews.com.br

Nomes populares: irerê, paturi, marrecão, siriri, marreca-viúva, chega-e-vira, marreca-piadeira
Nome científico: Dendrocygna viduata
Estado de conservação: “pouco preocupante” na lista vermelha da IUCN e não consta da Lista Nacional Oficial de Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção

A vocalização até parece a de um patinho de borracha, mas o irerê é um pato de verdade, encontrado não só em praticamente todo o Brasil, como na área que vai da Argentina até a América Central e, veja só, na África Ocidental também.

A máscara branca no rosto, em contraste com o pescoço negro e o bico também escuro, junto com uma bela plumagem castanha no peito e mesclada de branco e preto no resto do corpo conferem grande beleza a esta ave da família dos gansos. 

A vocalização do irerê lembra a de um pato de borrachaA espécie é uma das mais conhecidas do Brasil. O irerê se aproxima das áreas urbanas e durante as migrações sazonais para o sul pode ser visto em bandos de dezenas de indivíduos até nas águas poluídas de rios em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro.

Nessas migrações, o irerê pode se deslocar por centenas de quilômetros. Sua atividade é mais intensa no crepúsculo e à noite. Durante o dia, o bando costuma descansar na beira das águas onde procura seu alimento. A dieta do irerê é semelhante a de outros marrecos: plantas subaquáticas, gramíneas que crescem nas margens dos lagos, alguns invertebrados aquáticos, pequenos peixes e girinos.

O irerê constrói seus ninhos no chão e neles a fêmea põe de 8 a 14 ovos. O macho participa junto com a fêmea de todo o processo, desde a incubação até o cuidado com os filhotes já nascidos.

Postado por Dimas Marques às 00:00

Deixe seu comentário

comentários por Disqus

Artigos relacionados