Fauna News

Buscar

banner_20-08-2014.gif

Sexta-Feira, 26 DE Maio DE 2017

Photo Animal - Sete macetes para fotografar aves

Por Marcelo Calazans
Técnico em agropecuária, administrador de empresas e fotógrafo.Foi professor da disciplina Fotografia de Natureza pelo Senac-MS
photoanimal@faunanews.com.br

Olá, amigos!! Tudo bem?

Como eu falei no texto de 28 de abril (Conheça os tipos de fotografia de fauna), vou, a partir de agora, detalhar um por um os três tipos de fotografia de fauna que citei em meu segundo artigo aqui da coluna, que são, por ordem:

1 – Fotografia de aves
2 – Fotografia do mundo selvagem
3 – Fotografia macro


Mas, olhando essas divisões da fotografia de fauna, podemos perguntar: por que um capítulo à parte só para a fotografia de aves, sendo que ela poderia estar incluída na fotografia do mundo selvagem? Porque é uma técnica que precisa de uma atenção maior. No decorrer do texto vocês irão entender.

Vamos lá.

FOTOGRAFIA DE AVES

A melhoria de vida e o combate ao estresse são apenas dois dos muitos fatores importantes para se praticar a fotografia de aves. Temos também o lado científico, a parte que diz respeito à conservação do meio ambiente e à educação ambiental. 

E para comprovar o que escrevi, coloco um vídeo-depoimento como exemplo:

Vocês sabiam que o Brasil é considerado o segundo país do mundo com maior diversidade de aves? O Brasil possui mais de 1.901 espécies de aves catalogadas, fotografadas e com sons registrados. Perdemos apenas para a Colômbia, com 1.912 espécies registradas. Esses são dados de 2014, ano em que foi feito o último recenseamento mundial. Até esse ano, o Brasil tinha “apenas” 1.820 espécies catalogadas. E a Colômbia, 1.865. Pesquisadores acreditam que, até o ano de 2020, o Brasil passará ao primeiro posto.

Mãe-da-lua, filhote. Encontrado no estacionamento da Assembléia Legislativa do MS, em Campo GrandeAqui são retratadas as ações das espécies de aves que temos no país (ou no mundo) em seu habitat natural. É bastante comum o uso de grandes velocidades para captura de movimentos, como o bater de asas de um beija-flor. Exercício de PACIÊNCIA! 

Partindo da premissa que você já domina os parâmetros de configuração de sua câmera, eu destaco sete pontos principais para se realizar uma fotografia de ave a contento. São elas:

1 - Observar o plano de fundo da fotografia (composição)
Se você não tiver um fundo limpo, você dificilmente terá uma boa foto. Escolha o fundo antes de decidir de onde fotografar. Procure identificar o melhor ângulo para realizar a imagem. Movimente-se! Abaixo uma ilustração mostrando o posicionamento correto (em verde), o posicionamento médio (em amarelo) e o posicionamento errado (em vermelho):

2 - Como se aproximar?
Alguns pássaros são muito ariscos e a melhor maneira é ir se aproximando lentamente, fazendo o mínimo barulho possível. Na parte “avançada” da fotografia de aves, temos a possibilidade de utilizar o play-back (uso restrito para profissionais, biólogos e ornitólogos, pois inviabiliza a observação do comportamento natural da ave, mas apenas um comportamento induzido – modo defesa ou agressão) para atrai-las para um local de melhor visualização ou então montarmos “iscas” alimentícias e comedouros para esse fim. Eu não utilizo nenhum desses artifícios, prefiro contar com a SORTE, sempre. 

App no celular com o canto de várias aves e caixas de som, formando o conjunto para atrair as espécies que se deseja fotografar

3 - Iscas – mas prefiro tentar a sorte mesmo!
Se você decidir montar um “poleiro” para os pássaros, use sempre a vegetação e frutas do local – além de ajudar a atrair os pássaros, sua fotografia também ficará mais realista.

Não use misturas prontas, como aquelas feitas para atrair beija-flores. Isso pode causar danos sérios à saúde das aves que não estão acostumadas com isso. 

 4 - Bokeh 
Se você já tem domínio sobre a fotografia, sabe o que é o bokeh. Tente posicionar o assunto (ave a ser fotografada) o mais distante que conseguir do fundo. Quanto maior a distância, mais bonito o bokeh que você conseguirá na fotografia. bokeh é um termo que designa as áreas fora de foco em uma fotografia. Imagens de aves com essa técnica são muito bonitas!

Sabiá-poca registrado com a técnica do bokeh em primeiro e terceiro planos. Primeiro plano emoldurado por galhos de um limoeiro do meu quintal

Lente 70-300mm Nikon, f/4-5.6: excelente custo-benefício para iniciantes, com ótima ótica, proporcionando muita nitidez5 - Qual lente usar?
Friso aqui o uso da objetiva 70-300 mm para quem está começando, que já garante resultados satisfatórios. Em conjunto com as técnicas de edição, essa lente irá te proporcionar imagens satisfatórias. Claro que com o uso de teleobjetivas acima dos 400 mm os resultados são melhores. Mas um passo de cada vez. De acordo com sua capacidade financeira.

6 - Paciência
A paciência gera resultados como esse: o beijo entre um casal de periquitos-rei. Fiquei aguardando alguns minutos até que essa cena acontecesseSeja muito paciente. Provavelmente você terá que esperar vários minutos até que o primeiro pássaro pouse próximo de você ou realize uma ação digna de registro, como voar ou tentar capturar algum alimento. A paciência é a palavra-chave para se realizar uma fotografia de aves decente. Não seja o fotógrafo-metralhadora, que sai disparando dezenas e até centenas de imagens, com aproveitamento quase zero. Vale a pena esperar.

7 - E atenção!
Essa é a dica mais longa de todas. Relembrando o que eu já mencionei no artigo Algumas dicas para uma boa saída fotográfica, de 12 de maio, estude o ambiente em que você vai fotografar para saber quais espécies de aves podem ocorrer nesse local. Estude seus hábitos, seus horários, e assim terá grandes chances de flagrantes incríveis! E fique escondido. Lembre-se sempre que a maioria dos pássaros tem uma ótima visão.

Tente se esconder atrás de arbustos ou, se possuir, atrás de uma “cortina de caça” ou barraca de camping camuflada. Tenho certeza que, ao entrar nesse mundo da observação de aves, sua mentalidade e sua visão sobre a natureza irão mudar drasticamente. Você entenderá que cada ser tem sua importância dentro do ciclo da vida e que não podemos interferir nessa cadeia. Aconteceu comigo. 

Pica-pau-do-campo, espécie muito arisca, me permitiu uma aproximação muito boa graças a meus movimentos lentos, bom posicionamento e paciência, garantindo uma imagem muito bonita

Para nosso próximo encontro, apresentarei para vocês um fotógrafo-referência nessa área, com um resumo sobre sua carreira e experiência.

Até a próxima, pessoal! Abraço!

Postado por Dimas Marques às 00:00

Deixe seu comentário

comentários por Disqus

Artigos relacionados