Fauna News

Buscar

banner_20-08-2014.gif

Terça-Feira, 20 DE Junho DE 2017

Campanhas pontuais contra o tráfico de fauna: bom, mas não resolve

Por Dimas Marques
Jornalista, pesquisador do Diversitas-USP e editor responsável do Fauna News
dimasmarques@faunanews.com.br

Combater o tráfico de fauna silvestre envolve ações em várias frentes: educação ambiental, geração de renda em áreas carentes onde ocorre a captura, legislação eficiente, fiscalização atuante e boa infraestrutura para receber os animais, reabilitá-los e devolvê-los à vida livre em áreas de soltura vigiadas e monitoradas. Normalmente, União, Estados e Municípios não criam um sistema completo, investindo em ações pontuais – quase sempre na repressão.

Ás vezes, o poder público lembra da educação ambiental, pois sabe que só mudando o habito de muitos brasileiros de criar animais silvestres como bichos de estimação é que o tráfico de animais será abalado. Só tem quem vende porque tem quem compre.

Mas os investimentos em educação ambiental são pontuais. Geralmente, cria-se uma campanha e, como é uma característica das campanhas, há um prazo para terminar. E aí é onde está o problema.

Conscientização e mudança de hábitos demoram a se efetivar. Pouco adiantará a realização de uma campanha. É preciso um programa permanente que vá se adaptando aos contextos que forem sendo construídos, formado por ações diversas.

Veja a iniciativa da Polícia Federal e da Agência Estadual do Meio Ambiente do Estado de Pernambuco (CPRH):

Educação ambiental tem de ser um trabalho permanente e não só uma campanha pontual“A Polícia Federal em Pernambuco (PF-PE) e a Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH) iniciam, na manhã desta segunda-feira, uma campanha de combate ao tráfico de animais. Cartazes alertando sobre o crime federal foram instalados no Aeroporto Internacional dos Guararapes - Gilberto Freyre.

As duas instituições estão se unindo para estimular as denúncias e reforçar o combate ao tráfico de animais silvestres. Representantes da PF e CPRH firmam a parceria esta manhã, no setor de passaporte do aeroporto.

O material de divulgação produzido pela CPRH com versões em português e inglês também será divulgado pela PF em postos do Interior e em outras áreas do Aeroporto Internacional dos Guararapes, no Recife. As denúncias sobre tráfico d animais silvestres podem ser feitas em qualquer unidade da Polícia Federal, pelo site www.pf.gov.br ou na CPRH, em ligação para a Ouvidoria Ambiental (3182-8923), pelo e-mail ouvidoriaambiental@cprh.pe.gov.br, pelo portal www.cprh.pe.gov.br, ou mesmo presencialmente, na sede da Agência, na Rua Santana, 367 – Casa Forte – Recife – PE.”
– texto da matéria “PRF e CPRH fazem campanha de combate ao tráfico de animais no aeroporto”, publicada em 19 de junho de 2017 pelo site do jorna Diario de Pernambuco

Seria interessante ver um programa permanente de educação ambiental contra o tráfico de fauna e o hábito de criar animais silvestres como bichos de estimação no interior do Estado, onde as feiras de rolo são palcos deste comércio ilegal e cruel.

De qualquer forma, o público que frequenta o aeroporto está recebendo alguma informação.

- Leia a matéria completa do Diario de Pernambuco
- Saiba mais sobre o tráfico de animais

Postado por Dimas Marques às 16:00

Deixe seu comentário

comentários por Disqus

Artigos relacionados