Fauna News

Buscar

banner_20-08-2014.gif

Terça-Feira, 16 DE Outubro DE 2018

Fauna é atropelada, Ibama multa Dnit e, no poder público, cada um tem sua prioridade

Onça-pintada morta por atropelamento na rodovia BR-262 em 8 de outubro

Por Dimas Marques
Jornalista e editor responsável do Fauna News
dimasmarques@faunanews.com.br

“O Instituto de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) aplicou uma multa no valor de R$ 8 milhões ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) por não instalar na BR-262, no trecho entre Aquidauana e Corumbá, no Pantanal de Mato Grosso do Sul, dispositivos para evitar o atropelamento de animais silvestres.

O Instituto Homem Pantaneiro, de Corumbá, estima que entre cinco e seis animais morrem atropelados por dia em um trecho ainda menor da estrada, mas na mesma região, entre Miranda e Corumbá. Um dos casos mais recentes foi de uma onça-pintada, que foi encontrada morta no acostamento da rodovia, na segunda-feira (8).

De acordo com o Ibama, a multa foi aplicada no dia 20 de setembro deste ano. Entretanto, quando foi questionado pelo G1 sobre a autuação do órgão ambiental, o DNIT disse que até está terça-feira (9 de outubro) ainda não havia sido notificado.

Segundo o Ibama, a multa foi aplicada ao DNIT porque no licenciamento ambiental deste trecho da estrada estava prevista a instalação de dispositivos de proteção a fauna, o que não ocorreu. Entre esses equipamentos estão: cercas de proteção e condução para passagens inferiores, passagens inferiores e superiores e a limpeza de áreas não edificáveis da estrada.

Além da rodovia não contar com esses instrumentos de proteção a fauna, o Ibama aponta que a situação se agravou por conta dos 23 radares instalados pelo DNIT nos locais do maior número de atropelamentos de animais deste trecho, terem a velocidade alterada de 80 quilômetros por hora para 100 quilômetros por hora, a máxima permitida na estrada.

Conforme o órgão ambiental, o trecho entre Aquidauana e Corumbá da BR-262 possui uma peculiaridade. É grande o trânsito de animais silvestres do Pantanal que passam entre as áreas de campo inundáveis e as morrarias, já nas proximidades de Corumbá, em busca de refúgio, principalmente nos períodos de cheia na região.

O Ibama aponta que além da multa, o DNIT terá um prazo para executar as ações de proteção da fauna previstas no licenciamento da rodovia.”
– texto da matéria “Ibama multa DNIT em R$ 8 milhões por não instalar dispositivos para evitar atropelamento de animais no Pantanal”, publicada em 9 de outubro de 2018 pelo portal G1

Primeiro ponto: licenciamento ambiental, apesar de muitas vezes deixar a desejar, existe e suas exigências têm de ser cumpridas. Não é e não deve ser um processo de fachada só para saciar ambientalistas e Ministério Público.

Segundo ponto: o caso escancara a falta de sintonia entre órgãos do próprio governo. No fim das contas, o governo está multando a si próprio.

Terceiro ponto: rodovia com boa infraestrutura não é a que garante segurança e trânsito bom para motoristas. É também a que garante o segurança para a fauna e impactos mínimos ao meio ambiente. Asfalto bom, sinalização, radares, sistema de atendimento médico de urgência para acidentes e policiamento parecem ser as prioridades do DNIT, dos órgãos de gerenciamento de estradas dos Estados e das concessionárias. A mitigação de impactos ambientais e sobre a fauna silvestre ainda são deixados em segundo plano quando as obras saem do papel – no licenciamento, ou seja, no papel, todo mundo alega ser necessário proteger os animais.

Quarto ponto: é cientificamente indicado que a redução de velocidade diminui o número de perdas de animais silvestres. Um estudo na Austrália sugere que uma redução de 20% na velocidade diminuiria em 50% a mortalidade. Em uma rodovia que corta áreas com ambientes naturais ainda bem conservados e alta incidência de fauna é, no mínimo, estranho aumentar os limites de velocidade. Ou seja, a fauna ficou em segundo plano e priorizou-se o tráfego de veículos.

Por fim: o DNIT vai recorrer, a multa não será paga e as exigências do licenciamento ambiental serão instaladas sabe-se lá quando...

Enquanto isso, animais morrem.

Vergonhoso.

- Leia a matéria do portal G1

Postado por Dimas Marques às 23:00

Deixe seu comentário

comentários por Disqus

Artigos relacionados