Fauna News

Buscar

banner_20-08-2014.gif

Quarta-Feira, 19 DE Dezembro DE 2018

Olha o Bicho! - Cotia

Roedor, que tem até música infantil, é bastante caçado

Por Luciana Ribeiro
lucianaribeiro@faunanews.com.br

Nomes populares: cotia, cutia
Nome científico: Dasyprocta spp
Estado de conservação: de “pouco preocupante” a “criticamente em perigo” conforme a espécie na lista vermelha da IUCN e não integra a Lista Nacional Oficial de Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção

A cotia é personagem de uma famosa brincadeira infantil que tem versos que diz "Corre cutia, na casa da tia; corre cipó, na casa da vó". Cotia é também nome de um município paulista, bem conhecido e próximo da capital. Mas será que o pequeno roedor é lembrado cada vez que a brincadeira é feita ou o nome da cidade é citado? É provável que não.

Existem onze espécies de cotias distribuídas pela região neotropical das Américas (sul do México, Américas Central e do Sul), quase todas com ocorrência no Brasil, em florestas, cerrados, capoeiras e caatingas.

É um animal de pequeno porte, não ultrapassando os seis quilos e com cauda pequena como a da capivara. Os membros anteriores são menores que os posteriores e providos de unhas fortes e cortantes. As longas patas traseiras ajudam a cotia a pular. Pelos longos, ásperos e em tons que vão do marrom ao alaranjado recobrem seu corpo.

A cotia é um mamífero forrageador, ou seja, um animal que passa a maior parte de seu horário de atividade em busca de alimento. Sua dieta é composta basicamente de frutos e sementes e ela tem o hábito de carregar o alimento para longe de onde foi coletado e enterrá-lo, fazendo uma espécie de "despensa" para o futuro. Só que muitas vezes, esses animais esquecem seus estoques e as sementes acabam germinando, fazendo com que ela ganhe importância ecológica como dispersora de sementes.

Existem onze espécies de cotiasSeus hábitos são diurnos, mas a interferência humana ou a presença de predadores podem fazer com que ela passe a ter atividade noturna. 

Passando a vida sempre com o mesmo parceiro, a fêmea tem uma ou duas gestações por ano, que duram cerca de quatro meses e geram de um a três filhotes, que ficam com os pais até o nascimento da próxima ninhada.

A cotia corre sério risco de entrar para as listas de espécies ameaçadas de extinção. Dois fatores a ameaçam: a perda do habitat e a caça. O hábito do forrageio exige uma grande área de vida e a fragmentação de matas levam ao isolamento das populações e impedem o fluxo migratório para outras regiões, o que acaba também facilitando a caça, pois a cotia tem sua carne visada por caçadores.

Postado por Dimas Marques às 00:00

Deixe seu comentário

comentários por Disqus

Artigos relacionados